top of page

Ações, Fundos de Ações e ETF de Fundos de Índice. Quais as diferenças entre eles?

"Quando existem várias soluções para um problema escolha a mais simples." Navalha de Ockham (1280-1340)


Impossível começar a tratar do tema deste blog, sem dar referência ao autor do livro O Investidor de Bom Senso, John C. Bogle (1929-2019), criador do primeiro fundo de índice público.

Nos dias atuais falar em simplicidade ao investir, paciência, parcimônia, diminuir seus custos de investimentos, e de participar do jogo vencedor (ganha-ganha), assustam várias pessoas que querem ingressar no mundo dos investimentos, pois parecem que entraram num cassino e precisam ganhar da banca. E aí, várias pessoas caem nas famosas pirâmides financeiras do ganho rápido e fácil.

Um outro ponto de atenção, que já comentamos em outras postagens, é o íntimo da pessoa querer investir como se fosse entrar numa competição de ganha-perde, e ela necessariamente quer sair na frente dos demais. Quer achar, como diz Bogle, "a famosa agulha no palheiro". Mas, por quê um grupo de pessoas tem essa sede em entrar nesse jogo de ganha-perde (que pode ser o seu jogo de perdedor), quando o objetivo de Investir é simplesmente você obter os melhores resultados possíveis, fazendo boas escolhas, com riscos bem administrados, deixando o dinheiro trabalhar para você no tempo e à custos baixos?

O objetivo do tema do blog será o de explicar como o investidor pode compreender melhor a relação de risco ao investir no mercado de ações e as diferenças entre comprar diretamente uma ação, comprar cotas de um fundo de ações, ou comprar cotas de um ETF.

1) O que é investir em Ações?

Em novembro do ano passado, a Bolsa de Valores passou de 4 milhões de CPFs cadastrados. Mas, será que esses neófitos no mercado de ações sabem como é o seu funcionamento? Em uma das postagens da Fluir fizemos um artigo sobre como começar a investir em ações. Se quiserem ler clique aqui.

Ah, uma dica que precisamos compreender na questão de rentabilidade do mercado de ações. Cada um está em um tempo diferente do outro. O que isso quer dizer? Uma rentabilidade anual demonstrada em uma determinada ação, não que dizer que representa a sua rentabilidade, pois, se às vezes você comprou ações em um momento de baixa da cotação de uma determinada empresa, sua rentabilidade pode estar maior do que a apresentada no período. Ao contrário, se você comprou num momento de alta do papel, pode estar com uma rentabilidade bem abaixo do esperado ou até mesmo negativa.

Neste mercado, vale a máxima. Em momentos de alta, deixe o seu dinheiro de reserva de oportunidade investido em algo com liquidez. Em momentos de baixa, você utiliza parte da sua reserva de oportunidade e compra a ação que você deseja num custo menor.

Duas dicas para você também gerir seus custos. 1) Uma forma de reduzir custos no longo prazo com ações é comprar em uma corretora que não lhe cobre tarifas por operação, ou mesmo, uma que tenha um custo menor. 2) Evite fazer compra e venda constantes, pois você paga imposto de renda de 15% sobre o ganho. Comprou ações de empresa em que você confia no longo prazo?, deixe a empresa trabalhar para lhe entregar os resultados esperados.

2) O que é investir em um Fundo de Ações?


O fundo de investimento é uma forma de você participar como investidor cotista, e o fundo funciona semelhante a um condomínio. Nele, há um gestor que tomará as principais decisões de investimento por você. É uma maneira simples de optar a delegar a um terceiro a gestão do seu dinheiro onde, em contra partida, você paga uma taxa de administração anual pelos serviços prestados. Um fundo de investimento é, então, uma maneira de realizar investimentos mais complexos sem que haja a necessidade de você ser um especialista em renda fixa ou variável.

Uma outra vantagem é a de realizar investimentos com maior complexidade, sem que você tenha que estudar e compreender a fundo todos os investimentos realizados.

Dica: A rentabilidade de um fundo já é demonstrada descontando suas despesas, mas, antes de investir em um determinado fundo de ações, pesquise sua taxa de administração, pois, seja na alta, ou na baixa, você irá pagar a gestão do seu fundo ao longo dos anos e, às vezes, você pode estar pagando toda uma estrutura de gestão, para lhe devolver uma rentabilidade negativa ou muito abaixo do desempenho do mercado.

Neste tipo de investimento, você não está comprando diretamente as ações de uma empresa, mas sim, COTAS do fundo, a qual diariamente divulga a seu valor.

Há uma enormidade de fundos de ações disponíveis nos Bancos. Para você identificar um fundo de Ações, ele tem uma sigla FIA (Fundo de Investimentos em Ações).

Conforme informações da ANBIMA, a taxa de administração média dos fundos de ações, está em 2,72% ao ano. Sua alíquota de Imposto de Renda é de 15% sobre o ganho.

3) O que é investir em ETF de Índice de Ações?

Chamado pelo mercado de gestão passiva, o termo ETF (Exchange Traded Fund) tem como objetivo central um investimento em uma renda variável que reflete um determinado índice. Sua vantagem é que, se você não tem muita paciência para formar a sua própria carteira. o ETF já lhe dá uma boa segurança, pois está investindo de forma diversificada nas ações que exatamente reflete o índice. Normalmente seus custos são mais baixos que o de fundos de ações ou mesmo os custos de corretagem na compra e venda direta de papéis na corretora.

Outra diferença, da compra direta de ações na corretora, é que neste caso você compra as cotas do ETF e não diretamente as quantidades de ações envolvidas na carteira e suas cotas são negociadas na Bolsa como se fossem uma ação.

É um investimento interessante, para quem sofre uma grande influência comportamental e emocional em suas escolhas no mercado de risco, pois o investimento em índices elimina esta condição, pois as escolhas dos papéis são técnicas e relacionadas a um índice.

Como exemplo e para você começar com duas possibilidades de investir em ETFs e, ao mesmo tempo, se tornar proprietário de algo em torno de mais de 550 grandes empresas são as seguintes:

BOVA11

Criado em 2008, o iShares Ibovespa Fundo de Índice (BOVA11) busca refletir a performance, antes das taxas e despesas, do Índice Bovespa e sua carteira é composta pelas 60 empresas (ativos) mais negociadas na Bolsa. O gestor é a Black Rock Brasil, o administrador é o Banco BNP Paribas e, atualmente, é o maior ETF do mercado brasileiro.

Quanto à alíquota do imposto de renda é também de 15% sobre o ganho.

Uma vantagem é seu baixo custo de administração, onde os Bancos cobram em média uma taxa de 0,3% ao ano, bem diferente do que vimos nos fundos de Ações. Na data da postagem a cota do índice estava no valor de R$ 104,70.


IVVB11:


O ETF do IVVB11 (iShares S&P 500 FIC de Fundo de Indice) representa as 500 maiores empresas americanas do índice S&P. A representatividade dessas 500 empresas juntas é de aproximadamente 80% do total do mercado de ações americano.

Na data da postagem a cota do índice estava no valor de R$ 261,00.

Você quer começar a investir ou já investe em seu Banco? Você tem um apoio de um especialista, para lhe orientar a tomar melhores decisões e minimizar os riscos? Procure por por pessoas credenciadas em seus Bancos, NeoBancos ou mesmo Bancos de Investimento para lhe auxiliar na tomada das suas decisões.

Se você quiser organizar o seu planejamento financeiro e ter uma assessoria econômica de forma personalizada e adaptada aos seus objetivos, entre em contato com a FLUIR.











Posts recentes

Ver tudo

Comentarios


bottom of page