top of page

Auto sabotagem nas Finanças Pessoais? Três sugestões para você evitar entrar nessa armadilha

"O efeito negativo de uma perda é duas vezes mais intenso do que o efeito positivo gerado por um ganho." Richard Thaler


Um minuto para sua reflexão pessoal. Pense em algo que você gosta muito de fazer, mas, como não está te fazendo bem e você precisa de muito auto controle e disciplina para mudar.

Definimos uma meta, um propósito ou um objetivo para fazer esta mudança, temos até uma certa disciplina no início para a sua execução, mas, com o passar dos meses, semanas ou até mesmo horas, não conseguimos manter aquele desafio proposto. Com isso nos sabotamos. E por que fazemos isso?

O Economista e Psicólogo americano George Lowenstein chama isso da lacuna da empatia quente-frio onde, como exemplo, é qual a nossa atitude quando nos deparamos diante de um conflito ou tomada de decisão. Exemplos podemos usar diversos como as famosas promessas de virada de ano, das segundas-feiras, de um início de mês, virada do semestre, na próxima estação do ano, após ter ganho uma conquista e por aí vai.

Quando você faz planos eles provavelmente lhe demandarão um longo prazo (dieta, corrida, esporte, idiomas, terapias, faculdade, academia, educação financeira etc.) e as famosas "tentações" para você quebrar seus objetivos são de curto prazo (comer bastante só hoje, faltar na corrida, trancar a matrícula, faltar nas aulas, fazer compras no shopping etc.).

Duas respostas muito claras para isso: chutamos o balde, pois achamos que não vai dar certo mesmo ou, pior, quando imaginamos que já temos tanto auto controle e domínio no assunto, que temos a certeza que assim que quisermos as coisas acontecerão.

Os livros do Zygmunt Bauman tratam desse tema com maestria.

Vou trazer o tema agora para educação financeira e lhe fazer uma pergunta: será que você não está se sabotando no seu planejamento financeiro, pois já tentou e parou várias vezes de mexer no assunto finanças pessoais, ou mesmo aplicou errado, se arrependeu e aí não ligou mais para o assunto? Pois aí vão cinco dicas para você perceber que se está se auto sabotando:

1) Defina um horário para cuidar das suas finanças pessoais (retire de sua vida o "deixa a vida me levar")

Confesse, é chato fazer controles dos seus gastos e planilha financeira né? Pois bem, nem tudo que fazemos na vida tem que ser apenas prazeroso, mas também as coisas importantes devem ter o mesmo peso, mesmo que não sejam tão prazerosas assim. Comentei várias vezes que vi minhas filhas tomarem inúmeras vacinas quando crianças. É prazeroso vê-las tomar vacina e chorar? Não, mas é IMPORTANTE.

Suas finanças devem ser assim tratadas. Não importa se você fará seus controles por um aplicativo, uma planilha de excel, um bloco de notas ou num caderno. Faça! Quando isso entrar na sua rotina, você fará com tal praticidade que nem será mais um peso. Defina um dia e horário na semana para cuidar disso e coloque um prazo.

Nos treinamentos e consultorias que faço deixo claro sempre uma coisa: o que não falta hoje é informação sobre educação financeira para uma pessoa virar o jogo, mas se ela não tiver interesse, não há o que fazer.

2) Se interesse mais pelo que você está se dedica a fazer. Estude! (Level Up!)

Certa vez minha esposa estava fazendo um boneco de crochê, e percebi ela assistindo algo no celular e fazendo várias anotações no caderno. Ao conversar com ela, soube que ela estava assistindo um canal de uma youtuber, especializada em crochê e da Espanha. Ou seja, aquilo que na minha tola percepção era algo simples de se fazer, percebi que tinha toda uma técnica, empenho, estudo, um cálculo matemático preciso e ela não limitou o seu conhecimento ao que já dominava, mas foi buscar ainda mais informações para que o boneco saísse perfeito. This is this life!

Pergunte a um maratonista se o corpo dele não quer largar tudo, em determinado estágio da corrida. E os relatos são interessantes das pessoas que lidam com o cansaço, com a dor e mesmo a exaustão, porém com uma enorme satisfação de um objetivo realizado.

No ambiente remoto, o "máximo" para alguns estudantes é poder fingir, ou arrumar mecanismos, para não precisar assistir à uma aula e simular presença, como se o conteúdo não fosse o mais relevante. Na boa, mas quem realmente ele acredita que está sabotando?

Sua virada de jogo nas finanças pessoais, para sair de devedor até investidor e cuidar do seu dinheiro com excelência, leva tempo e uma mudança de Atitude na sua relação com as finanças. Tenha curiosidade de estudar mais sobre o tema, compre um livro, baixe o kindle, assista um canal no youtube, faça anotações, se questione e procure sempre aperfeiçoar ainda mais o seu conhecimento.

3) A humildade deve acompanhar o seu processo, pois você irá errar (Cuidado com o efeito do espelho da bruxa da Branca de Neve)

Já comentei em temas anteriores, que a pandemia me fez deparar com inúmeras e excelentes lives de CEOs de Empresas, Gestores de Investimentos e Profissionais do mercado financeiro, que praticamente seriam inacessíveis há tempos atrás. Percebi uma coisa comum entre eles: o prazer em ensinar, expor seus erros e a humildade em saber explicar temas complexos de forma extremamente simples. Como valeu e continua valendo a pena!

Nassim Taleb, comenta que não se pode separar conhecimento do contato com o chão. Ou seja, o conhecimento não pode te tornar uma pessoa soberba. O conhecimento é exatamente você ter a clareza que há ainda muita informação disponível para se acrescentar ao que você já sabe.

Mas o que a humildade tem a ver com o exemplo? É que se você se mantiver com consciência de algo é importante em sua jornada, você terá uma enorme satisfação em buscar mais informações, em se aperfeiçoar e ganhar cada vez mais autonomia e protagonismo na sua jornada de finanças pessoais.


Quer saber mais do trabalho da Fluir? Entre em contato e será uma satisfação conversar com você, seja Pessoa Física ou Jurídica. Lembro que a primeira consultoria diagnóstica é gratuita.


Uma ótima semana para todos e vamos ao resumo semanal do mercado financeiro


BOLSA DE VALORES

A Bolsa praticamente andou de lado na semana.O pregão desta última sexta (19) fechou em 118.430,53 pontos, com uma queda de 0,64% no dia, e na semana uma queda de 0,84%. O volume financeiro da sexta totalizou R$ 38,67 bilhões.

Neste ano de 2021 o Ibovespa está com uma queda acumulada de 0,49% e, nos últimos 12 meses, a variação está positiva em 3,35%.

DI

No movimento da semana observado nas taxas futuras de juros, o mercado se manteve praticamente inalterado. Para Jan/2022 o DI fechou em 3,44%; para Jan/2023 5,13%; para Jan/2024 a taxa ficou em 6,06%; para Jan/2025 6,69%; para Jan/2026 ficou para 7,01%; para Jan/2027 7,15% e Jan/2028 fechou em 7,33%.

DÓLAR

O dólar à vista fechou nesta última sexta-feira do mês (20) cotado a R$ 5,385 para venda, com quedas de 1,02% no dia, mas com leve alta na semana em 0,2%. No ano de 2021 o dólar está com uma alta de 3,78% e, nos últimos 12 meses, o dólar apresenta uma alta de 23,34%.

FUNDOS IMOBILIÁRIOS

IFIX: o índice de referência dos Fundos de Investimentos Imobiliários, O IFIX apresentou uma ligeira alta nesta última sexta (19), com uma valorização de 0,11%, fechando o dia aos 2.893,97 pontos. No mês de fevereiro, o IFIX fecha com uma alta de 0,5%. No ano de 2021 o índice apresenta uma alta de 1,36%, porém, nos últimos 12 meses, a rentabilidade está negativa em 3,95%.

OURO

A cotação do grama do Ouro em queda nesta última sexta (19) em 0,41% cotado a R$ 308,58. Na semana também foi negativa para o metal precioso, pois a cotação apresentou uma queda de 2,03%.

Neste ano de 2021 o Ouro está com uma queda de 2,43% e, nos últimos 12 meses, a cotação do ouro apresentou uma valorização de 36,42% no período, quando o grama estava cotado em R$ 226,20.

PRATA

A cotação do grama da Prata teve um dia positivo nesta última sexta, com uma variação de 0,05% cotado a R$ 4,7184. No mês de fevereiro a cotação da Prata apresenta uma queda de 0,65%.

No ano de 2021 a cotação da prata apresenta uma variação positiva de 7,52% e, nos últimos 12 meses, tendo como parâmetro, a cotação em 19 de fevereiro de 2020 onde o grama estava cotado em R$ 2,5869 o que representa uma valorização de 82,40% no período.


Fontes: Amazon; ANBIMA; ANFAVEA; Bullion-Rates; Capital Research; Capitalizo; CNN Business; CORECON; Dica de Hoje; EQI; Endeavor; Nord Research; Sebrae; Suno Research; XP Inc.







29 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Comentários


bottom of page