top of page

Como investir num cenário de incerteza? Cinco princípios de Sir Templeton para o investidor

"O que aprendi há muito tempo é: nunca deixei de observar o mundo, dentro e fora da sua área, e, quando vir alguém fazendo algo inteligente, force-se a fazer o mesmo" Mohnish Pabrai


Se é uma coisa que toda e qualquer pessoa passa a compreender, quando o assunto é finanças, é: lidamos com a incerteza. Um erro que cometemos é de polarizar essas incertezas em decisões como, gastar ou investir? poupar ou viajar? comprar ou alugar? o que importa é o hoje, ou o amanhã? estarei vivo até lá? ser perdulário ou avarento? e por aí vai. Precisamos achar o equilíbrio. Acredito que muitos nós evita buscar o equilíbrio, pois isso nos demandará esforço e planejamento, e ficamos paralisados diante de tantos questionamentos, escolhas e incertezas que nos cercam.

Muitas pessoas acabam procrastinando essas decisões para um próximo ano, para um próximo ciclo, após um novo emprego, ou após uma nova renda, enfim, criamos um cenário futuro que, presume-se, será melhor do que o atual.

Estamos quase no final do ano e pode ser um bom momento para você que está lendo este texto, aprimorar sua ideia de investimentos, compreender melhor a relação de risco x retorno, ou mesmo dar uma virada na página de como você lidou até agora com o dinheiro, procurar sair das dívidas e começar a investir, pouco a pouco que seja, mas, investir.

Vamos comentar sobre as seis dicas do Sir John Templeton (1912-2008), considerado por muitos o maior investidor do século XX e que foram extraídas do livro Ricos, Sábios e Felizes do William Green.

O sr. Templeton iniciou sua carreira em Wall Street em 1938 e um dos seus grandes êxitos no mercado, foi ter criado um dos fundos de investimento em ações mais bem sucedidos do mundo. Comentava que não sentir emoções e ser bom com números é uma excelente combinação para os investimentos. Também foi um raro investidor que conseguiu conciliar sua riqueza, sem abrir mão da sua espiritualidade, filantropia e volumosas doações para a ciência. Escreveu mais de uma dúzia de livros tanto sobre finanças como sobre espiritualidade. Vamos aos seus ensinamentos:

1ª lição: A maioria das pessoas se deixa levar pelas emoções ao investir. Tome cuidado.

Na polarização que comentei no início do texto, um grande conflito para toda e qualquer pessoa que deseja investir, ou fazer o seu planejamento financeiro é que a razão e a emoção estão em permanente conflito. As pessoas têm uma ânsia por acertar o alvo e sair numa posição privilegiada dos demais, mas esse comportamento quer dizer que a emoção está tomando conta das suas decisões, por isso vemos muitas pessoas quebrando a cara em tantas casas de apostas e investimentos repletos de riscos por aí. Você conhecer o seu perfil de investidor é essencial para compreender melhor como tomar suas decisões financeiras.

2ª lição: Cuidado com a própria ignorância, pois, provavelmente, é um problema ainda maior que a emoção

Você já parou para analisar quantas coisas você já deve ter comprado, com uma quantidade mínima de informação sobre o que está fazendo? Isso pode acontecer em situações cotidianas pelo simples fato de uma pessoa ter um cartão de crédito na mão, na compra de um imóvel, carro, ou mesmo investimentos no mercado financeiro, sem ter apurado o mínimo de informação necessária para tomar uma boa decisão. Quantas pessoas já compraram um bem, sem ter feito sequer uma consulta no Reclame Aqui para ver se a empresa era idônea? Se cerque de pessoas, fontes e estudos que possam lhe possibilitar maior confiança no destino do seu dinheiro.

3ª lição: Diversifique seus investimentos para se proteger da sua falibilidade

Um dos grandes impasses quando uma pessoa acerta em cheio em uma determinada escolha de ações, ou mesmo conseguiu perceber que um investimento prefixado naquele momento seria mais viável que um indexado, é lidar com o Ego. O Sr. Templeton nos traz uma lição que deve estar anotada em nosso bloco de notas para ser lida todo dia: "até mesmo os melhores investidores precisam supor que não conseguirão acertar mais de dois terços das vezes, por mais que se esforcem." Está na dúvida sobre como investir? Diversifique! A economia de mercado tem vida própria e é difícil para nós, pequenos participantes deste planeta chamado mercado financeiro, conseguirmos acertar em 100% nossas decisões de investimento, por isso, a diversificação é um caminho que chamamos de bom senso.

4ª lição: Sucesso nos investimentos exige paciência

Num mundo em que a tecnologia acelerou tanto o tempo das coisas, o ato de investir entrou nesse redemoinho. Parece que queremos tudo para ontem. Queremos sair das dívidas em apenas uma semana, queremos que as grandes decisões da nossa vida financeira deem certos, sem que tenhamos que cuidar dela, se algo não funcionou bem no seu primeiro mês de planejamento, normalmente já descartamos e achamos que não servimos para isso, e por aí vai.

Pesquise sobre o que quer dizer juros compostos e você, de cara, vai perceber a importância do tempo e da paciência, para que os seus recursos se multipliquem.

5ª lição: (válida para quem investe em ações) Analise ações que caíram nos últimos cinco anos e verifique se a causa desses males é temporária ou permanente

Neste ponto, cuidado! No mercado brasileiro de ações, algumas pechinchas acontecem porque tem muita empresa ruim mesmo rs. Você deve buscar ações que sofreram quedas, ou que não tiveram ainda um bom desempenho, mas que seus números, estratégias de negócios e planos futuros possam valorizar a ação desta empresa. Recomendo a leitura do livro Trigonometria dos Investimentos, do Sr. Werner Roger, para que você possa identificar ações que estão num preço atrativo, porém, repleta de bons fundamentos.

6ª lição: Uma das coisas mais importantes para o investidor é não correr atrás de "modinhas"

O mercado financeiro é permeado de "novidades", nem sempre viáveis e rentáveis para o investidor, mas sim apenas para os que "criaram" este tipo de investimento. No mercado de ações, alguns IPOs (empresas que abriram capital) foram um desastre para vários investidores. Temos muitas siglas para produtos de investimentos no mercado financeiro e que algumas dessas "siglas" só são rentáveis para os assessores de investimentos, mas, bem de longe, viáveis para o investidor. Isso sem falar em mercado de criptomoedas, day trade, apostas etc.

Para evitar essas tentações de curto prazo, deixamos a dica final do Sir John Templeton: uma análise crítica do valor de fundamentos do investimento que uma pessoa quer fazer, atua como uma proteção contra a "loucura das multidões".

Esperamos que as dicas tenham sido úteis para você estabelecer um novo tempo e uma nova forma de olhar seus investimentos.


Fontes:

GREEN, William. Ricos, Sábios e Felizes: os princípios de charlie munger, howard marks, john bogle e outros grandes investidores para ser bem-sucedido nos negócios e na vida. Rio de Janeiro, Rj: Sextante, 2021. 320 p.

JOHN TEMPLETON FOUNDATION. Sir John Templeton 1912-2008. Disponível em: https://www.templeton.org/pt/about-portuguese/sir-john-portuguese. Acesso em: 26 nov. 2022.







7 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Fluir

Comentarios


bottom of page