top of page

E agora? Como o Empreendedor deve persistir sem olhar a grama do vizinho e nem a política do país

"O Empreendedor deve ter em mente que a cada dia ele está tocando a maior Empresa da sua vida." Igor Piquet ENDEAVOR


Tivemos uma semana recheada com novas orientações e restrições nas esferas municipal e estadual, referente às novas medidas para conter a segunda onda do coronavírus. O blog da Fluir chegou a tratar desta potencial segunda onda, no post de 15/11/2020. Se você não o leu, acesse aqui e perceba como a economia nos antecipa sinais do que está por vir.

Como não ficar desanimado quando o seu estabelecimento teve que, para atender aos vários planos de contingência e cores do Governo, fechar e abrir várias vezes o seu estabelecimento, com restrições de horários, de capacidade de atendimento, com vários protocolos etc., enquanto outros setores puderam funcionar quase que normalmente?

Sim, o momento não está fácil para quem está vendo o seu projeto pessoal começar a perder força e, ao conversar com um amigo empresário de um outro setor, perceber que ele está em pleno vapor, com aumento de vendas, de clientes, de lucro etc. e a crise só o ajudou. A Economia tem esse lado assimétrico, onde a crise de um não foi percebida por outro.

Acompanhei neste quase um ano de pandemia diversos blogs, lives e livros de empreendedores, sobre como enfrentar este tão complicado momento, escutando não somente CEOs de grandes corporações, como também encontros de empreendedores de setores que foram muito afetados pela crise como bares/restaurantes, comércio, academias, escolas etc. e, na maioria destes encontros, o grande questionamento era: e agora, o que vamos fazer?

No post de hoje trago quatro ensinamentos simples, porém muito enriquecedores, do José Galló, que foi CEO das Lojas Renner por mais de 20 anos e atualmente é presidente do Conselho da empresa. Um dos mais renomados empresários do país. Caso queira conhecer um pouco mais da sua biografia, leia o livro O Poder do Encantamento que traz lições e ensinamentos para todo e qualquer empreendedor, independente do porte de sua empresa. Em várias lives que ele participou e entrevistas que deu, separei estes quatro ensinamentos sobre como enfrentar a crise. Para o Rennó, toda crise é composta pelas fases de Pânico, Realidade, Solidariedade e Negociação. Vamos a elas:

1) PÂNICO


Em tudo que ouvi, assisti e li, nenhum empresário comentou que estava preparado e sabia da dimensão desta crise. Quem te falar isso pule fora, pois é um engenheiro de obra pronta. Há quase um ano atrás, o pânico foi geral e percebemos que a grande maioria fechou escritórios, lojas, escolas, clínicas, academias etc., seja por uma ordem ou mesmo por medo, quase que de forma simultânea. Ruas vazias, todo mundo em casa meio em pânico, arrumando formas de viver dentro de sua casa 24h, e os empresários e executivos skin the game (conceito do Taleb) começaram a dar as caras, no ambiente virtual, mas sem ainda muita clareza, até aquele momento inicial, sobre o que estava acontecendo.

Com a vivência e a experiência de hoje, muitos olhando o comportamento de um ano atrás talvez tivessem agido de forma diferente ou com mais coragem para o enfrentamento. O pânico cega a lucidez e agimos quase que por um movimento de massa e não mais de forma racional e individual. Na minha opinião, os meses de março e abril foram meio assim. Na minha área de consultoria financeira, este é um momento em que o empresário não procura uma consultoria (mas deveria), pois está tomado pela incerteza e pelo receio de ver o seu negócio ruir.

2) REALIDADE

O Galló comenta que esta já é uma fase interessante da crise, pois é quando você começa a se questionar: Qual é realmente o problema que estou enfrentando? É o momento do diagnóstico, onde o empresário passa a tomar medidas para enfrentar a situação do jeito em que ela está e não como ele gostaria, busca soluções criativas e inovadoras para se reinventar e manter a sua empresa viva. Foi o momento da busca dos meios digitais (whatsapp business, google ads, instagram, reformulação de sites, criação de catálogos, parcerias etc., e também de arrumar a sua vida financeira, pois sem ela dificilmente algumas dessas situações anteriores seriam possíveis.

Numa postagem de julho comentamos sobre a importância da gestão financeira para o ecossistema dos pequenos e médios negócios. Caso queira ler ou rever clique aqui. Se faz quase essencial, você contar com uma consultoria neste momento da crise, pois é o olhar de fora que pode nos fornecer um diagnóstico mais claro, do que quando estamos envolvidos pelas circunstâncias. É o que cito muitas vezes em aula, que até mesmo o melhor jogador do mundo precisa de um técnico, ou uma atriz muito famosa precisa de uma direção. Por que disso? O olhar de fora. Na minha percepção este movimento ocorreu mais nos meses de maio e junho.

3) SOLIDARIEDADE

Este é o grande momento em que todos observam o ecossistema como um todo, pois enquanto as pessoas estão no pânico, a tendência humana é partir para o cada um por si e nessa hora todos perdem. E quanto mais nos isolamos neste momento pior, pois passamos a achar que nossa crise é maior que todos as demais dos outros. Nos falta empatia em horas assim. A solidariedade que o Rennó comenta, é o momento em que você conversa com todos os stakeholders do processo (colaboradores, locadores, fornecedores, clientes, prestadores de serviços etc.) e compreende melhor o momento que cada um está vivendo e que você não está sozinho nesta. Dessa troca de ideias pode vir grandes insights que você não tinha identificado isoladamente. Vai lá saber quantos empregos puderam ser mantidos nessas simples trocas de ideias?

Grandes Corporações como Magalu, Itaú, AmBev, XP, Nestlé entre outras se mexeram e se solidarizaram em doar recursos financeiros para Ongs e Entidades Assistenciais como, por exemplo, a Gerando Falcões do Edu Lira, para que assim uma grande parte da sociedade, que estava passando por inúmeras dificuldades, tivesse um apoio de forma mais abrangente. Fortes movimentos assim foram percebidos desde maio até praticamente todo o período da pandemia.

4) NEGOCIAÇÃO


Esta é a fase madura do enfrentamento da crise. É a hora em que você está negociando todo o seu passivo e vendo meios de arcar com esses compromissos. É a hora de negociar maiores prazos e política de preços com fornecedores, rever contratos bancários (principalmente aqueles que foram assinados na fase 1 do pânico) e renegociar com novos prazos e taxas, contar com o apoio da Consultoria para fazer o levantamento destes contratos e fluxo de caixa, negociar com os proprietários de imóveis a situação do passivo que ficou do período em que o estabelecimento estava fechado e por aí vai. Esse efeito da negociação foi mais perceptível no segundo semestre de 2020 até o momento, porque a pandemia ainda não acabou.

Deixa eu lhe dar um recado direto nesta hora: não queira fazer tudo sozinho. Conte com profissionais especializados, pois, se de um lado você irá pagar um pouco mais por este profissional, do outro lado você pode estar economizando não só um dinheiro bem maior, como também uma enorme dor de cabeça futura. Não sabe como negociar seus contratos? procure um Advogado, não sabe mexer com tecnologia?, procure um profissional de Mídias Digitais, quer melhorar o visual da sua Loja? procure um Decorador, que entender melhor a situação financeira da sua Empresa? Espero que você possa procurar a Fluir!

Que ler um pouco mais do artigo do Galló clique aqui.


Uma ótima semana para todos e vamos ao resumo do mercado financeiro na semana.

RESUMO SEMANAL DO MERCADO FINANCEIRO

BOLSA DE VALEORES

A Bolsa teve na semana quatro quedas consecutiva e, com isso, o ano apresenta uma rentabilidade negativa. O pregão desta última sexta (22) fechou em 117.380,49 pontos, com uma queda de 0,8%. O volume financeiro da sexta totalizou R$ 34,01 bilhões.

A Bolsa neste mês de janeiro com uma queda de 1,38%. Nos últimos 12 meses o Ibovespa apresenta uma variação negativa de 0,93%.

Nesta semana o portal do EQI (Eu Quero Investir) divulgou oportunidades para investir em BDR Brazilian Depositary Receipts. A Fluir publicou um roteiro com pontos de atenção para investir em BDRs. Os cinco títulos mais negociados no período, desde o seu lançamento, foram: 1) Tesla (TSLA34) – R$ 43,914 milhões / 2)Mercado Livre (MELI34) – R$ 25,982 milhões 3) Facebook (FBOK34) – R$ 10,946 milhões / 4) Amazon (AMZO34) – R$ 10,502 milhões / 5) Apple (AAPL34) – R$ 9,424 milhões.

DÓLAR

O dólar à vista fechou nesta sexta (22) cotado a R$ 5,479 para venda, com uma alta de 2,14%. Nos últimos 12 meses o dólar apresenta uma alta de 30,95%. O Relatório Focus projeta o Dólar em R$ 5,00 para 2021.

INFLAÇÃO

Conforme relatório do Boletim Focus: projeção de IPCA é elevada para 3,43% em 2021.

POUPANÇA

Em 2020, a poupança fechou o ano com uma rentabilidade de 2,11%. Já a inflação ficou em 4,52%, mais que o dobro da remuneração da poupança, ou seja, o ganho real ficou negativo.

Só que por ser o investimento mais popular entre os brasileiros, a caderneta de poupança completou nesta semana 160 anos de existência. Segundo dados do Banco Central, a caderneta finalizou o terceiro trimestre de 2020 com 180,8 milhões de contas. Bom, se grande parte dos brasileiros soubessem como anda o rendimento desta caderneta, que possui mais de R$ 1 trilhão investidos, já teriam pulado fora.

PRODUTO INTERNO BRUTO

No Brasil, o Índice de Atividade Econômica do Banco Central (IBC-Br), considerado a prévia do Produto Interno Bruto (PIB), avançou 0,59% em novembro.

Nesta última semana foi divulgado o PIB da China, que avançou 6,5% entre outubro e dezembro, enquanto no ano passado cresceu 2,3%. A produção industrial chinesa cresceu 7,3% em dezembro. Enquanto as vendas no varejo aumentaram 4,6%.


SELIC

O COPOM Comitê de Política Monetária, do Banco Central do Brasil, em reunião realizada decidiu manter a Taxa Selic nos atuais 2% ao ano. O mercado já que espera que em algum momento o Banco Central pratique o forward guidance, preparando o mercado para o aumento da Selic.




9 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Commenti


bottom of page