top of page

Seu negócio não é um bilhete de loteria. É hora de cuidar dos recursos financeiros

Nenhum pensamento mora de graça na cabeça de ninguém – todos eles são Investimentos ou Custos.” Robert G. Allen




Ao conversar com as pessoas no dia a dia, mais especificamente empreendedores de pequenos e médios negócios, é possível identificar, na maioria das vezes, um extremo domínio sobre o produto/serviço que a empresa oferece ao mercado. Detalhes, características, como o seu produto/serviço se diferencia dos demais concorrentes, qual o público alvo, mídias digitais etc. São questões que estão na ponta língua da pessoa que toca um negócio.

Entendo que, na outra ponta, todo esse esforço é para se converter em algo chamado VENDA (Receita). Desde um vendedor ambulante até a empresa mais gigante do mercado, todos têm em mente procurar vender, da melhor forma possível, os seus produtos ou serviços.

O grande conflito disso é a etapa 2: o que é feito com este recurso financeiro depois que a venda foi concretizada?


Aí mora o perigo! E é um fenômeno que também ocorre nas Pessoas Físicas. Uma boa parte das pessoas físicas, com os seus salários mensais, e empreendedores(as), com as suas VENDAS mensais, não sabem explicar ao certo como é feita a gestão financeira desse resultado obtido com a venda, ou para onde foi o dinheiro. E nisso, é claro, se você não sabe como os seus recursos são geridos, não verá a mínima importância em contratar uma consultoria financeira.

Peter Thiel, um dos criadores do PayPal. em seu livro De Zero a Um comenta a diferença entre os pessimistas e os otimistas, e os classificam em quatro perfis que podemos aplicar bem este conceito, para a forma em como os recursos financeiros são cuidados no dia a dia:

1) PESSIMISTA INDEFINIDO

Thiel comenta que as pessoas com este perfil definem um futuro sombrio, mas não tem ideia de como reagir. Se levarmos as pessoas com este perfil para a questão financeira, é natural você perceber, principalmente para o final de ano, que muitas pessoas já estejam se preparando para começar a organizar melhor as finanças, mas a partir de 2021. 2021??? Não!!!

O pessimista indefinido percebe as dificuldades para cuidar do dinheiro do seu trabalho ou do seu negócio próprio, mas não sabe (ou não quer procurar saber) por onde começar. O mais difícil com esse público é que não buscam apoio e querem resolver esse conflitos financeiros em um momento mais apropriado ou do seu próprio jeito.

2) PESSIMISTA DEFINIDO

Este público é preferível ao pessimista indefinido, pois o pessimista definido entende que o futuro pode ser conhecido, mas, já que ele imagina sombrio, precisa se preparar melhor para enfrentá-lo. Esse público busca apoio. No caso financeiro digo que é a pessoa que vai buscar estudar mais, irá contatar consultorias financeiras, pensar em alternativas, novas possibilidades e enfrentar com um olhar mais ampliado o desafio que o espera. Irá compreender a necessidade de um fluxo de caixa, para entender melhor os caminhos do dinheiro da sua empresa.

3) OTIMISTA INDEFINIDO

Um(a) empreendedor(a) com este perfil entende que o futuro será melhor, mas não sabe exatamente como, por isso não fará planos específicos e não é muito adepto de projeções. Este conceito aplicado ao empreendedorismo, normalmente eu associo a um(a) empreendedor(a) que tem o olhar puramente comercial, mas não do ecossistema do seu negócio. Falamos no post da semana passada que é importante a visão do todo, mesmo que um dos sócios seja apenas do comercial. Conhecer os caminhos do dinheiro da sua empresa não faz mal pra ninguém, mas esse perfil normalmente não vê a necessidade de apoio de um consultor ou mesmo um profissional mais qualificado para cuidar da área financeira do seu negócio.

4) OTIMISTA DEFINIDO

Peter Thiel comenta que o público dentro deste perfil vê um futuro melhor que o presente, contanto que ele se PLANEJE e TRABALHE muito para torná-lo melhor. Empreendedores(as) com este perfil normalmente têm a visão do ecossistema do seu negócio, tem domínio naquilo que faz e acredita, porém não abre mão de estudar mais, de buscar apoio para saber como ainda melhorar as margens e lucratividade do seu negócio.

E aí? Em qual destes perfis você se enquadra neste momento? Cuide melhor dos recursos da sua empresa ou do seu salário. Tivemos um ano complicado e ainda inexplicável.

Quer conhecer melhor o trabalho da Fluir Investimentos? Agende a sua consultoria. Vale lembrar que a primeira consultoria diagnóstica é gratuita, para você compreender melhor a nossa atuação tanto na consultoria, como também em poder treinar o(a) profissional responsável pela área financeira da sua empresa.

Uma ótima semana para todos e vamos ao resumo do mercado financeiro:

RESUMO DO MERCADO FINANCEIRO

BOLSA DE VALORES

Semana muito positiva para a Bolsa, com a divulgação dos resultados do 3º tri das empresas, o mercado que já tinha precificado a eleição de Biden. Preocupa muito ainda o crescimento dos casos da Covid19 na Europa e nos EUA, bem como o aumento do número de mortes. Aqui no Brasil, por enquanto, parece que o foco da mídia nas eleições municipais e a da presidência nos EUA, fizeram com que o tema Covid desaparecesse dos jornais. Incrível, mas não sabemos a real situação ou risco de uma segunda onda no Brasil.

O Ibovespa fechou a sexta com leve alta de 0,17% aos tão esperados 100.925,11 pontos, e a semana foi muito positiva fechando com alta de 7,42%. Como novembro começou nesta semana, no mês, a variação é a mesma da semana em 7,42%. No ano de 2020, ainda estamos no vermelho em -12,73% e nos últimos 12 meses a rentabilidade continua negativa em 6,72%. O volume financeiro da sexta totalizou R$ 28,879 bilhões.

DÓLAR

O dólar à vista fechou a sessão de sexta com uma queda de 0,57% com a cotação a R$ 5,3920 na venda e na semana fechou em queda de 6,03%. No mês de novembro, o dólar já está com em queda de 6,03%. Já, no ano de 2020, acumula uma alta de 34,15% e nos últimos 12 meses uma alta de 11,50%.

FUNDOS IMOBILIÁRIOS

IFIX: o índice de referência dos Fundos de Investimentos Imobiliários, O IFIX apresentou nesta última sexta-feira (06), uma leve alta de 0,32%, fechando o dia aos 2.795,03 pontos. Na semana o índice também fechou com uma alta de 1,02% e no acumulado do mês de novembro e ano de 2020, a variação do índice é de 1,02% e -12,59%, respectivamente. Já nos últimos 12 meses a rentabilidade apresentada é de -1,11%.

OURO

A cotação do grama do Ouro teve uma variação praticamente nula de -0,03% no dia cotado a R$ 346,93. No mês de Novembro o Ouro apresenta uma variação positiva de 1,98%, no ano uma alta de 71,83% e, nos últimos 12 meses, tendo como parâmetro, a cotação em 06 de novembro de 2019 onde o grama estava cotado em R$ 195,72 o que representa uma valorização de 72,02% no período.

PRATA

A cotação do grama da Prata teve uma queda de 1,92% no dia cotado a R$ 4,3669. No mês de Novembro a Prata apresenta uma variação positiva de 1,19%, no ano uma alta de 90,75% e, nos últimos 12 meses, tendo como parâmetro, a cotação em 06 de novembro de 2019 onde o grama estava cotado em R$ 2,3162 o que representa uma valorização de 90,78% no período.


Fontes: ANBIMA; Bullion-Rates; Capital Research; Capitalizo; Chicago Investimentos; CNN Business; CORECON; Dica de Hoje; Faria Lima Elevator; Geekonomics; How Much; Nord Research; Sebrae; Suno Research;


17 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Commenti


bottom of page