top of page

Estou endividado e agora? Parte 2

Atualizado: 23 de jan. de 2021

"A coisa mais importante em termos do seu círculo de competência não é o tamanho da área que você atua, mas com que precisão você define o seu perímetro." Warren Buffett


Na semana passada demos três dicas importantes para, no caso de uma pessoa que se encontra endividada, elaborar um planejamento para transformar o cenário atual. Caso você não tenha lido o blog da semana passada clique aqui para assim conectar-se com o tema.

Antes mesmo de continuar, nesta semana foi publicado no site da Infomoney que o endividamento do brasileiro subiu novamente em agosto, atingindo a maior série história da CNC (Confederação Nacional do Comércio) para 67,5% onde, especificamente, para as famílias de menor renda este índice ficou subiu para 69,5% e, na outra ponta, onde temos as famílias que recebem mais de 10 salários mínimos o índice caiu de 59,1% para 57,8%.

Conforme a matéria, as dívidas com o Cartão de Crédito representam a maior causa para 77,8% das famílias, seguida pelos Carnês (17,3%) e Financiamento de Veículos (10,6%). Cada vez mais se torna essencial que todas as pessoas quer estejam endividadas ou com recursos, que façam um melhor planejamento financeiro ou invistam de forma mais adequada ao seu perfil e que também possam contar com uma Consultoria. Na Fluir a primeira consultoria diagnóstica é gratuita. Se quiser saber mais, cliente neste link para agendar.

Então vamos para as outras três dicas que encerram este tema sobre endividamento.

4) PLANEJAMENTO: Qual é o seu objetivo?

Outra palavra que de tão falada está até desgastada, porém falta execução. Deming comentava que não se gerencia o que não se mede e não se mede o que não se define. Usando como exemplo uma pesquisa da Content Trends, para pessoa jurídica, 78,1% das empresas que têm o hábito de documentar sua estratégia, acabam tendo êxito nos resultados. A ideia é que você deve estabeleça pequenos percursos, êxitos e ganhos que você perceba que venceu e superou. Claro que a maioria das pessoas, se ler uma manchete escrito "Fique milionário" irá se interessar de imediato seja um livro, um curso, uma imersão etc. Por isso uma grande parte de pessoas começam e ficam desanimadas rapidamente, pois se impuseram um objetivo muito acima das condições e recursos atuais (igual você querer correr 100m, pensando que já é o Usain Bolt, e querer realizar o trecho em 9 segundos. Calma aí né? rsrs). A proposta da Fluir é bem diferente disso, pois pensamos na JORNADA e há um processo que precisa ser vivenciado, em que terá erros, acertos e correção de rumo. Coloque o seu objetivo no papel (curto, médio e/ou longo prazos) e comemore as pequenas conquistas, para estar apto à receber as maiores. Por qual objetivo você mudaria a sua relação atual com o dinheiro?

5) INDICADORES: Quais indicadores irão lhe demonstrar se o caminho traçado está na "rota certa" do objetivo?

Vamos utilizar para esta questão dois conceitos: Indicadores e Métricas. Os indicadores, também chamado de KPI (Key Performance Indicator) que são os indicadores-chave principais para o seu objetivo (ex. Se uma pessoa quer começar à praticar corrida os seus KPIs podem ser trajeto, tempo, peso, exames de saúde etc., enquanto a Métrica é o que será utilizado para medir se os indicadores estão sendo atingidos ou não (ex. quantos Km foram percorridos no dia a dia, como estão os batimentos durante a corrida etc.)

Então fica a segunda questão: O que você precisa utilizar de indicadores para o seu objetivo e como irá mensurar se está no caminho certo?

6) RESULTADOS: O que estou comemorando?

É um momento importantíssimo em nosso cotidiano e que exige de nós disciplina e constância. Nesta etapa você precisa reavaliar aquilo que não foi atingido, rever se o que foi traçado se estava em linha com o que realmente poderia ser entregue por você. Também é o momento de comemorar e brindar sua conquista, porém não entrar na zona de conforto. Um exemplo que comento regularmente é que, com o aumento do número de investidores no mercado de ações acontece de, às vezes, um investidor apenas por ter conseguido um ótimo resultado com uma ação, já achar-se na condição de gênio e nem precisar estudar mais nada, pois acredita que já bom mesmo (um erro percebido muito usual em jogatinas). Uma dica: deixo uma frase do Nassim Taleb do livro Arriscando a Própria Pele

que é “Não se pode separar conhecimento do contato com o chão.” ou seja, mantenha HUMILDADE, direção, foco e os pés no chão. Só vai te ajudar! E finalizo o tema da semana com a última questão: Por qual resultado é a sua comemoração de hoje, mas qual é o próximo passo?

Bom, agora que terminamos segue a imagem com as 6 Dicas que conversamos no Blog:



Fonte: Fluir Investimentos

Vamos ao RESUMO DA SEMANA NO MERCADO FINANCEIRO BOLSA DE VALORES

O Ibovespa nesta última sexta foi muito volátil e fechou com 0,52% alta a 101.241,73 pontos com volume financeiro negociado de R$ 32,797 bilhões. Na semana, com toda esta volatilidade, apresentou uma queda de 0,88%, muito puxada pelas quedas recentes nas ações da VALE (VALE3) que representam 10,9% do índice.

Na terra do Tio SAM, o índice Nasdaq chegou a ter forte queda, de cerca de 5%, mas se recuperou ao longo do dia e fechou a sexta com queda de 1,27%.

DI

O comportamento da taxa do contrato de Depósito Interfinanceiro (DI) para janeiro de 2022 fechou em queda com projeção de 2,74% ao ano, 3,9% para janeiro de 2023 e 5,70% para janeiro de 2025. Para janeiro de 2027 a Taxa DI projetada já sobre para 6,65%.

DÓLAR

O dólar encerrou a sexta com uma alta de 0,33% e fechou a cotação em R$ 5,3081. Na semana a moeda teve uma desvalorização de 1,99% em relação ao real.

EMPREGO

Nos EUA, o Relatório de Emprego americano revelou a criação de 1,37 milhão de empregos em agosto. Este dado veio um pouco acima das expectativas dos economistas.

FUNDOS DE INVESTIMENTO

Conforme o Boletim da ANBIMA, os fundos de renda fixa lideraram, pelo terceiro mês consecutivo, a captação líquida em R$ 44,5 bilhões em agosto, de um total de R$ 71,9 bilhões de todos os demais tipos de fundos. Conforme informações da Infomoney as melhores rentabilidades dos Fundos de Ações foram os seguintes:

Fonte: Infomoney

Uma informação que chama a atenção é que entre os 10 melhores fundos, quatro deles são dos Bancos de Varejo (Caixa, BB, Bradesco e Itaú). Já nos fundos Multimercados, entre as melhores rentabilidades de agosto constam apenas dois Bancos de varejo (Itaú e Santander).

FUNDOS IMOBILIÁRIOS

IFIX: o índice de referência dos Fundos de Investimentos Imobiliários, é composto pelas cotas de Fundos de Investimentos Imobiliários listados na B3 O IFIX subiu nesta sexta em 0,34% a 2.789 pontos.

OURO

A cotação do grama do Ouro sofreu uma queda na semana e fechou com o valor de R$ 329,38. Como parâmetro, em 05 de setembro de 2019 o grama estava cotado em R$ 200,64 o que representa uma valorização de 64,16% no período.

POUPANÇA

Com captação líquida de R$ 11,4 bilhões em agosto. É o sexto mês seguido que este movimento de crescimento acontece. No ano a captação líquida da poupança é de R$ 124 bilhões.

No mês passado, poupança rendeu 0,13% a.m., contra 0,16% a.m. do CDI. No ano, ganhos chegam a 1,64%, ante 2,12% do principal benchmark da renda fixa.

PRODUTO INTERNO BRUTO PIB

Nesta semana saiu o resultado do PIB do Brasil que apresentou queda recorde de -9,7% no segundo trimestre de 2020. Em relação ao mesmo período do ano passado, a queda registrada é de 11,4%.

Com o resultado de R$ 1,7 trihão, o PIB brasileiro pontuou negativamente pelo segundo trimestre consecutivo, o que pode caracterizar uma recessão técnica.

O PIB da INDÚSTRIA caiu 12,3% e na comparação com o segundo trimestre de 2019, o PIB da indústria mostrou queda de 12,7%. Já no setor de SERVIÇOS, o PIB caiu 9,7% no segundo trimestre de 2020 em relação ao primeiro trimestre de 2020. Na comparação com o segundo trimestre de 2019, o PIB de serviços revelou uma queda de 11,2%.

O que segurou foi o setor da AGROPRECUÁRIA que subiu 0,4% no segundo trimestre de 2020 em relação ao primeiro trimestre do ano. Em relação ao segundo trimestre de 2019, o PIB da agropecuária mostrou alta de 1,2%.

Na análise do CONSUMO DAS FAMÍLIAS (um item que normalmente representa algo em torno de 60% do PIB) caiu 12,5% no segundo trimestre de 2020 em relação ao primeiro trimestre, segundo o IBGE. Na comparação com o segundo trimestre de 2019, o consumo das famílias mostrou queda de 13,5%. A taxa de poupança ficou em 15,5% do Produto Interno Bruto no segundo trimestre de 2020.

Dentro do item CONSUMO DAS EMPRESAS a Formação Bruta de Capital Fixo FBCF (indicador que mede o quanto as empresas aumentaram os seus bens de capital, ou seja, aqueles bens que servem para produzir outros bens) caiu 15,4% no segundo trimestre de 2020 em relação ao primeiro trimestre de 2020. Ante o segundo trimestre de 2019, a FBCF mostrou queda de 15,2%. Segundo o instituto, a taxa de investimento (FBCF/PIB) ficou em 15% no segundo trimestre de 2020. A taxa de investimento ficou em 15% no segundo trimestre de 2020, informou o IBGE.

No âmbito do CONSUMO DO GOVERNO este sofreu uma queda de 8,8% no segundo trimestre de 2020 em relação ao primeiro trimestre. Na comparação com o segundo trimestre de 2019, o consumo do governo recuou 8,6%.

POLÍTICA FISCAL

A dívida líquida passou, então, de R$ 4,17 trilhões em junho (58% do PIB) para R$ 4,32 trilhões em julho (60,2% do PIB). Em dezembro do ano passado, o indicador estava em 55,7%.

PRODUÇÃO INDUSTRIAL

De acordo com os dados do IBGE, a produção industrial de julho cresceu 8% em relação ao mês anterior, concluindo o terceiro mês seguido de alta, sendo que 25 dos 26 setores apurados na pesquisa mensal registraram crescimento. No acumulado de 12 meses, a taxa da produção ainda está negativa em 5,7%.


Uma ótima semana para todos!


Fonte: Fontes: Amazon; ANBIMA; Banco Central do Brasil; Bullion-Rates; Capital Research; Capitalizo; CNN Business; Corecon; Dica de Hoje; Dinheiro Rural; Faria Lima Elevator; How Much; Minhas Economias; Nord Research; Suno Research; XP Investimentos; Warren

64 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Comentarios


bottom of page